domingo, 28 de agosto de 2011

Presença

Esses dias, para variar não me recordo exatamente quando, estávamos pós aula ouvindo um som, meu colega tentando arranhar um ''chão de giz'' do Zé Ramalho no violão.
Comentei sobre ser este um dos raros shows bons que estiveram por aqui nos últimos tempos...e eis que meu colega que é de outra cidade comenta ''mas eu também estava no show''.
Isso seguido me acontece. Ficar sabendo que determinada pessoa estava no mesmo local que eu, sendo que não a vi. Ai fico com aquela sensação...será que a vi? Bom...posso não ter visto..mas ao ter essa informação..de uma forma ou de outra, essa pessoa passa a preencher um espaço na memória daquele evento.
Assim como ocorreu semana passada....falei com uma pessoa ao telefone, estava próximo dela, não cheguei a vê-la.
Mas foi estranho..era como se ela estivesse por todos os lados...mesmo estando ausente.

domingo, 21 de agosto de 2011

A casa das palavras


Na casa das palavras, sonhou HelenaVillagra, chegavam os poetas.As
palavras, guardadas em velhos frascos de cristal, esperavam pelos poetas e se
ofereciam, loucas de vontade de ser escolhidas: elas rogavam aos poetas que as
olhassem,as cheirassem,as tocassem, as provassem.Os poetas abriam os frascos,
provavam palavras com o dedo e então lambiam os lábios ou fechavam a cara.Os
poetas andavam em busca de palavras que não conheciam, e também buscavam
palavras que conheciam  e tinham perdido.
Na casa das palavras havia uma mesa das cores. Em grandes travessas
as cores eram oferecidas e cada poeta se servia da cor que estava precisando:
amarelo-limão ou amarelo-sol, azul do mar ou de fumaça, vermelho-lacre,
vermelho-sangue,vermelho-vinho...
(Eduardo Galeano)

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Palavras Desconexas



''A vida é arte do encontro
Embora haja tanto desencontro pela vida''




Andava procurando algo nos últimos anos. Assim como todos o fazem. Uns procuram um bom trabalho, outros procuram um grande amor, outros apenas vivem sem procurar (serão felizes?).

Eu não sabia afinal o que procurava. Mentira..sabia sim, mas preferia achar que não. Muito tempo passado.muita vida vivida nesse meio tempo.

E eis que reencontro (adventos comunicacionais da tecnologia) o que procurava. Seis anos mais ou menos....não pode.foi ontem...ou parece ter sido ao menos.

Muito recente....muito presente....ainda me deixa triste...e ao mesmo tempo infinitamente feliz.