segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Mais Memória

Hoje estava olhando uma foto, a foto ai ao lado no caso.

Ela foi tirada em dezembro de 2003, ou teria sido novembro? Bom , lá se vão sete anos, não é muito, mas se listarmos tudo que fizemos e que nos ocorreu desde então com certeza parecerá.

Não, não vai ter como listar tudo, muita coisa só a memória guarda, o papel não aceitará jamais. Palavras escritas são só retalhos de lembrançase nada mais, a memória compõe-se de uma matéria muito mais volátil, inalcançável pelos dominíos da linguagem escrita.

Pessoas que conheci, lugares que visitei, outros tantos nos quais morei. Eterno espirito itinerante, seja por vontade ou necessidade.

Do material pouco ou nada levei, como já disse Galeano, o material não me prende, ele não decide nada sobre mim.

O que mais me agrada lembrar não são os lugares, e sim as pessoas. Elas que enriquecem a memória, alegram a vida, nos dão vontade de continuar vivendo.

Umas quantas me marcaram, dessas tantas a maioria nunca mais vi, mas me lembro como se tivesse conversado com elas ontem. Outras convivi , mas andam desaparecidas, como se tivessem sido consumidas pelo nada.

Hão ainda as que conheci quase sem querer, redemoinhos de coincidências...

Curioso é que não sei concluir este texto... cada dia dessa vida itinerante soma algo a mais nessa história. Cada palavra que ouço, paisagem que vejo, pessoa que conheço...tudo isso são palavras que um dia não saberei como escrever.


".Ver o mundo num grão de areia. E um Céu numa Flor silvestre, Ter o Infinito na palma da sua mão E a Eternidade numa hora. ..."Rubem Alves

Nenhum comentário: